Cresce a participação da educação a distância entre o total de bolsas do Prouni para futuros professores

G1 • 16 de outubro de 2019

Movimento Todos Pela Educação critica concentração de alunos em cursos de baixa qualidade. 'Não se forma um bom professor em curso teórico e a distância', diz especialista.

Por Elida Oliveira, G1

Os futuros professores do Brasil estão recorrendo cada vez mais a bolsas de estudo para a formação a distância para conseguirem se tornar docentes. Em oito anos, cresceu 53% o total de bolsas concedidas pelo Programa Universidade para Todos (Prouni) para calouros de cursos voltados à docência, como pedagogia e outras licenciaturas (veja a lista abaixo).

O índice é puxado principalmente pela educação a distância (EAD), opção de 67% dos calouros destas áreas, em 2018. No entanto, a maior parte destes alunos (58,5%) está em cursos com baixo índice de avaliação.

Os dados fazem parte do relatório “Expansão do Prouni EAD na Formação Inicial do Docente”, feito pelo Movimento Todos pela Educação com dados do governo, e divulgado com exclusividade pelo G1 e GloboNews nesta terça-feira (15).

O Prouni foi criado em 2004 para dar bolsas de estudos a estudantes de graduação em instituições privadas de ensino superior.

Já outra modalidade de apoio mantida pelo MEC, o Financiamento Estudantil (Fies), tem caído no mesmo período. Ele oferece financiamento das mensalidades, mediante juros, e é voltado a cursos presenciais.

"O ato de ensinar precisa de observações reais, de práticas de ensino, de discussões sobre como ensinar. Não se forma um bom professor em curso teórico e a distância. Em relação às bolsas do Prouni, é fundamental que elas sejam voltadas a cursos presenciais e de alta qualidade", afirma Gabriel Corrêa, gerente de políticas educacionais do Todos pela Educação.

Procurado, o Ministério da Educação (MEC) afirmou que a lei do Prouni obriga a instituição de ensino a "conceder bolsas em todos os seus cursos/turnos" e, como houve expansão nas vagas de EAD, "isso se reflete no Prouni".

Além disso, a pasta lembrou que os resultados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2018 mostram que "não houve queda na qualidade da educação nos cursos de Ensino a Distância" (leia a íntegra da nota no fim da reportagem).

Na edição de 2018 do Enade, só 3,3% dos cursos de faculdades privadas conseguiram atingir o conceito máximo.

Considerando todos os 8.520 cursos, menos de 6% destes cursos tiveram conceito 5, percentual semelhante ao registrado nos cursos avaliados em 2017.


Estudante universitário estudo lápis caderno escola universidade — Foto: Green Chameleon/Unsplash

Ajuda financeira a futuros professores

Em 2018, 16,2% dos bolsistas do Prouni eram de cursos voltados à formação de professores, o que representa 26,9 mil bolsas -- 53% a mais do que em 2010, quando eram 17,6 mil.

Os cursos voltados à carreira docente são:

  • artes

  • ciências/biologia

  • educação física

  • ensino religioso

  • filosofia

  • física

  • geografia

  • história

  • língua estrangeira

  • língua portuguesa

  • matemática

  • pedagogia

  • química

  • sociologia

Já entre os financiados pelo Fies, 3,4% dos universitários que queriam se tornar professores recorreram a esta modalidade em 2018, ou 2 mil pessoas.

De 2010 a 2013, o financiamento via Fies vinha crescendo em relação ao Prouni, mas a partir desta data, os números mostram o crescimento maior entre as bolsas de estudo em detrimento dos financiamentos de mensalidades.


Gráfico mostra a evolução dos financiamentos nas modalidades Fies e Prouni em cursos voltados à docência, de 2010 a 2018 — Foto: Elida Oliveira/G1

Ensino a distância para quem vai ensinar

A formação a distância foi a opção de 67% dos bolsistas do Prouni em cursos voltados à docência, em 2018: havia 17.992 bolsistas na formação EAD contra 8.986 bolsistas do Prouni nos cursos presenciais. O índice era de 61% em 2017. Nos demais cursos, a EAD foi a opção de 25% dos bolsistas.

Cursos com baixo índice de avaliação

De acordo com os dados do Todos pela Educação, mais da metade dos calouros com bolsas do Prouni voltadas à docência estão matriculados em cursos com baixo índice de avaliação.

A qualidade do ensino superior no país é medida pelo Conceito Preliminar de Curso (CPC), calculado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao MEC. As notas vão de 1 a 5. Quanto melhor o curso, mais alta a nota.

Os dados mostram que 58,5% dos estudantes que ingressaram na carreira docente com bolsa do Prouni em 2018 se matricularam em um curso com nota igual ou inferior a 3. Na modalidade a distância, o índice é de 43,6%.

"Isso mostra que a expansão da EAD está ligada ao Prouni, que deveria financiar cursos com boa avaliação e presenciais", afirma Corrêa.


Infográfico mostra a porcentagem de bolsistas do Prouni em cursos de graduação, conforme a avaliação do MEC — Foto: Elida Oliveira/G1

Expansão da EAD no ensino superior

O número de vagas ofertadas pelo ensino superior a distância superou em 2018, pela primeira vez, o número de oportunidades em cursos presenciais. No ano passado, foram 7.170.567 vagas remotas contra 6.358.534 vagas locais, respectivamente. O dado é do Censo do Ensino Superior, divulgado em setembro pelo MEC.

Apesar disso, a rede presencial ainda recebeu mais alunos novos, em 2018, que a rede a distância. Segundo o censo, foram 2.072.614 matrículas em vagas presenciais (28,9% do total ofertado), e 1.373.321 nas vagas à distância (21,5% do total ofertado).

Financiamento em outros cursos

As bolsas do Prouni para calouros em outros cursos, que não são voltados à docência, teve aumento de 71% entre 2010 e 2018.

Íntegra da nota do Ministério da Educação

"De acordo com o Art. 5º da Lei 11.096 de 13 de janeiro de 2005, que institui o Programa Universidade para Todos (Prouni), a instituição é obrigada a conceder bolsas em todos os seus cursos/turnos.

Como ocorre uma expansão de vagas ofertadas em EAD em todo o país nos últimos anos, isso se reflete no Prouni. De acordo com o levantamento do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) de 2018, não houve queda na qualidade da educação nos cursos de Ensino a Distância.

Na edição de 2018 do Enade, 8.821 cursos foram avaliados de um total de 1.791 instituições de educação superior públicas (227) e privadas (1.564), nas modalidades presencial e a distância. Nesse caso, 21% dos cursos presenciais e 10% a distância tiveram conhecimentos agregados para além do projetado."





Notícia publicada pelo G1, às 06h00. no dia 15 de outubro de 2019, no endereço eletrônico https://g1.globo.com/educacao/guia-de-carreiras/noticia/2019/10/15/cresce-a-participacao-da-educacao-a-distancia-entre-o-total-de-bolsas-do-prouni-para-futuros-professores.ghtml


Restrito - Copyright © Edux Consultoria 2012 - Todos os direitos reservados