Segundo dia do CBESP: Mesa redonda com representantes da Educação para discutir diversidade e inovação no âmbito das políticas públicas

Edux • 07 de junho de 2019

Por: Barbara Modesto, consultora Edux

Sintetizando a mesa redonda desta manhã a respeito de políticas públicas para diversidade e inovação, a prof. Iara de Xavier, responsável pela Edux, propôs construir coletivamente uma política de Estado estabelecendo relações dialógicas com olhar dedicado à educação básica, ao strictu sensu, e avaliações conjuntas.

Segundo ela, é possível aproveitar o Decreto 9.235 de 2017, com uma pequena alteração para instituir a portaria única e aa valiação coletiva para racionalizar e flexibilizar com seriedade o processo de avaliação.

Alertou ela: "O Inep precisa deixar de ser uma agência de viagens!".

Nesse sentido, destacou que o SINAES foi reduzido durante quase 13 anos ao Enade, e colocou o INEP exclusivamente a serviço de um sem número de avaliações. Esse referencial precisa mudar para propiciar a inovação baseada em inclusão, diversidade e sustentabilidade.

Como membro da equipe que auxiliou a editar a lei do SINAES, ela relembrou que o espírito desta lei, tem a autoavaliação e a autorregulação como referenciais.Se avaliação fosse sinônimo de qualidade, o Brasil teria hoje as melhores instituições de ensino superior do mundo.

A burocracia inviabiliza a inovação e gera um alto custo para o Brasil. Na linha das práticas liberais exaltadas pelo Ministro da Educação, é preciso adotar na educação também a desregulamentação paulatina proposta para economia. Instituir a e-governança baseada em BI, e aplicar experiências internacionais baseadas em estudos comparativos com evidências comprovadas de sucesso conforme sugeriu a debatedora Cleonice Matos do INEP.


Restrito - Copyright © Edux Consultoria 2012 - Todos os direitos reservados